Uma plataforma EXCLUSIVA para você encontrar as melhores clínicas de recuperação do BRASIL!
Dependente Químico

Como sair de um relacionamento com um dependente químico?

13 de abril de 2021
Como sair de um relacionamento com um dependente químico?

Estatísticas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), apontam que quase 10% da população nacional já consumiu algum tipo de droga ilícita em dado momento da vida.

A dependência química não afeta somente o indivíduo que consome a droga, mas o todo em que ele está envolvido. O relacionamento a dois, por vezes, acaba se tornando insustentável, ocasionando o divórcio.

Sair de um relacionamento com um dependente químico não raro demanda a necessidade de procurar tratamento especializado porque muitos parceiros desenvolvem problemas psicológicos devido ao desgaste mental dessa relação e acabam por apresentar comportamentos compatíveis com codependência.

Essas pessoas costumam diminuir a si mesmas e se desvalorizar, aceitando a situação como se fossem merecedoras dela, julgando que têm a obrigação de serem coniventes devido ao passado traumático do parceiro (a), entre outros comportamentos que acabam incentivando o vício.

 

O que é a Codependência Química?

A Codependência Química é um termo de origem médica geralmente utilizado para definir pessoas que criaram um forte laço emocional com um dependente químico.

Ela é comumente associada aos familiares, partindo do pressuposto de que eles também são dependentes, não de drogas ilícitas, mas emocionalmente, no constante cuidado com o usuário de drogas. O que ocorre geralmente com pessoas que são codependentes químicas é o seguinte:

 

  • Perdem os amigos, devido ao relacionamento;
  • Sentem constante tristeza e pensamentos negativos;
  • Têm sonhos incomuns;
  • Apresentam mudanças significativas no apetite e sono desregulado;
  • Apresentam falha ao executar tarefas simples e cotidianas;
  • Têm problemas financeiros, muitas vezes devido à perda de bens que o dependente comercializou para satisfazer o vício;
  • Passam por situações degradantes ou humilhantes.

 

Saiba que manter um relacionamento com alguém que não deseja buscar um tratamento especializado para se livrar do vício e mudar o seu comportamento não vale a pena. É importante que quem passa pela experiência de conviver com um dependente químico não se culpe pela situação, pois fazer isso pode deixar duras sequelas emocionais.

Apesar de essa ser uma situação difícil, é possível se recuperar e possuir uma vida plena novamente, voltando a sorrir. A busca de tratamento e da orientação de um profissional especializado é fundamental para se ver livre da codependência química e de pensamentos negativos que influenciam o seu comportamento.

 

Se você está passando por uma situação em que sente que precisa terminar o relacionamento com um usuário de drogas, mas se vê preso (a) às circunstâncias e está tendo dificuldades para tomar essa decisão, o Busca Clínicas de Recuperação será uma ferramenta muito útil para encontrar profissionais especializados que possam lhe orientar e uma clínica que atenda às suas demandas. Acesse agora mesmo!

Blog

Obesidade: como ela leva a outras doenças?

Obesidade: como ela leva a outras doenças?

A obesidade é uma doença crônica que tem sido motivo de enorme preocupação entre os especialistas

Usuário x traficante: o que diz a lei?

Usuário x traficante: o que diz a lei?

Criada em 2006, a lei 11.343, que versa sobre o assunto, traz critérios bastante subjetivos para diferenciar usuários de traficantes

Dependentes químicos e reinserção social

Dependentes químicos e reinserção social

O processo de reinserção social de um dependente químico requer a transposição de uma série de barreiras, entre elas o preconceito

Covid-19: aumento nos casos de dependência química pode ser sinal de alerta para uma nova epidemia

Covid-19: aumento nos casos de dependência química pode ser sinal de alerta para uma nova epidemia

A pandemia do novo coronavírus trouxe muitas mudanças para o mundo. A principal delas foi a necessidade do isolamento social como forma de conter o avanço da doença